local 1

Profissionais da linha de frente da Covid-19 começam a ser vacinados em Curitiba

Por Portal A Voz Da Cidade em 25/01/2021 às 14:35:52
Aplicação das doses aconteceu no Pavilhão da Cura, no Parque Barigui. Segundo a prefeitura, 700 profissionais devem receber a vacina nesta segunda-feira (25), na capital. Profissionais da linha de frente da Covid-19 serão vacinados no Pavilhão da Cura, no Parque Barigui

Wilson Kirsche/RPC

Os profissionais da linha de frente da Covid-19 começaram a ser vacinados em Curitiba nesta segunda-feira (25), no Pavilhão da Cura, no Parque Barigui.

Segundo a prefeitura da capital, 700 profissionais devem receber a vacina nesta segunda-feira.

CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias

Acompanhe a média móvel de mortes e casos no estado

A categoria, que faz parte do primeiro grupo prioritário da vacinação, teve o começo da imunização atrasado devido às obras de preparo da estrutura do pavilhão.

Profissionais de saúde criticam modelo escolhido pela prefeitura para receber a imunização de vacina contra a Covid-19 em Curitiba

Profissionais da linha de frente começam a ser vacinados em Curitiba

Wilson Kirsche/RPC

Na cidade, as primeiras 46.320 doses da vacina chegaram em 19 de janeiro, e, um dia depois, em 20 de janeiro, a prefeitura iniciou a campanha de vacinação de Curitiba em uma cerimônia simbólica realizada no Pavilhão da Cura.

Silvana Maria Bora, enfermeira de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foi a primeira pessoa imunizada no município.

Perguntas e respostas sobre a vacinação no Paraná

Até sexta-feira (22), conforme a administração municipal, 3.046 pessoas receberam a primeira dose da vacina em Curitiba. Destas, 2.845 foram idosos e funcionários de instituições de longa permanência, como asilos, além de 128 profissionais que farão a aplicação das vacinas e 73 indígenas.

No mesmo período, segundo balanço da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), 57.200 pessoas foram vacinadas no Paraná.

Paraná recebe novas doses

Paraná recebeu 86.500 doses de vacina da Universidade de Oxford com a AstraZeneca

Jonathan Campos/AEN

No sábado (23), o Paraná recebeu 86.500 novas doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca. As vacinas foram distribuídas ainda no domingo (24) para todas as regionais do estado.

Veja o número de doses por cidade

As doses foram importadas da Índia pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que será responsável pela produção da vacina no Brasil. O lote chegou na sexta-feira (22) ao país e passou por inspeção e rotulagem antes da distribuição.

Paraná pode atrasar vacinação de grupos prioritários após receber menos vacinas do Ministério de Saúde, diz Beto Preto

Segundo a Sesa, a aplicação das doses vai acontecer de forma única. Ou seja, o estado não separou o lote em dois, assim como fez com a CoronaVac, para garantir a aplicação da segunda dose em quem já tomou a primeira.

A estratégia, conforme a secretaria, foi adotada uma vez que o intervalo entre a aplicação da vacina de Oxford é maior, de 120 dias, enquanto o da CoronaVac é de três semanas.

No estado, a primeira vacinação contra a Covid-19 no Paraná aconteceu em 19 de janeiro, quando a enfermeira da linha de frente do combate à pandemia Lucimar Josiane de Oliveira, de 44 anos, recebeu a primeira dose do estado no Hospital do Trabalhador.

Enfermeira que atua na linha de frente foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 no Paraná

Reprodução/RPC

Campanha

Na capital, a chamada das pessoas para a vacinação vai acontecer por meio do aplicativo Saúde Já, da prefeitura.

Saiba como irá funcionar o agendamento para a vacinação contra a Covid-19 em Curitiba

A exceção são idosos em instituições de longa permanência e indígenas, que terão a vacinação conduzida pela Secretaria Municipal de Saúde.

Além deles, de acordo com a Sesa, profissionais do Complexo do Hospital do Trabalhador receberão as doses no local de trabalho. Os demais profissionais devem se dirigir ao pavilhão.

Para o hospital, foram 650 doses enviadas pelo governo estadual.

Como existe uma ordem prioritária de vacinação, a orientação é para que as pessoas não se dirijam ao Parque Barigui sem terem sido avisadas pelo aplicativo.

No local, existem 52 boxes que, segundo a prefeitura, têm capacidade para atender cerca de 5 mil pessoas por dia. A partir desta terça-feira (26), o pavilhão terá funcionamento entre 8h e 20h.

Ao lado do pavilhão também haverá uma estrutura de drive-thru, que ainda não teve a montagem iniciada.

Fases da vacinação

Secretaria Municipal de Saúde detalhou cinco fases de vacinação em Curitiba

Giuliano Gomes/PR Press

Em Curitiba, a Secretaria Municipal de Saúde detalhou as cinco fases de vacinação na cidade. Não há um prazo definido para a imunização de cada grupo, uma vez que a aplicação depende do recebimento das vacinas.

Primeira fase

Profissionais de saúde que trabalham ou moram em Curitiba, idosos que moram em instituições de longa permanência (asilos) e indígenas da aldeia Kakané-Porã, agentes funerários, equipes da FAS e Guarda Municipal e estudantes de cursos de saúde que fazem estágios na área.

Segunda fase

Idosos acamados, pessoas acima 80 anos, pessoas entre 79 e 75 anos, de 74 a 70, de 69 a 65 e de 64 a 60, funcionários e população privada de liberdade.

Terceira fase

Cardiopatas graves, diabéticos, hipertensos, obesos, doentes neurológicos, pessoas com deficiências permanentes severas, pessoas com neoplasias, imunossuprimidos e transplantados e população de rua.

Quarta fase

Trabalhadores essenciais, como os de limpeza pública, segurança pública, motoristas e cobradores, professores, taxistas e motoristas de aplicativos.

Quinta fase

Grupos não prioritários, como a população com menos de 60 anos, seguindo a ordem de idade, dos mais velhos para os mais jovens.

VÍDEOS: Vacina contra a Covid-19 no Paraná

Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.

Fonte: G1

Comunicar erro
local 2

Comentários

local 3