local 1

Por que alguns vacinados n√£o retornam para a segunda dose?

Por Portal A Voz Da Cidade em 02/05/2021 às 18:54:00
Quase 8% dos americanos que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 n√£o voltaram para a segunda inje√ß√£o. Qu√£o eficaz é tomar apenas uma dose? Pessoas que tiveram Covid-19 podem descartar a segunda? Pessoas aguardam em fila da vacina√ß√£o contra o coronavírus em Filadélfia, nos EUA, nesta segunda-feira (29)

Matt Rourke/AP Photo

Por que milh√Ķes de americanos pularam a segunda dose da vacina contra a Covid-19?

Nos Estados Unidos, quase 8% das pessoas que tomaram a primeira dose das vacinas contra a Covid-19 da Pfizer-Biontech ou da Moderna n√£o retornaram para receber a segunda dose, segundo uma reportagem recente do jornal americano "The New York Times". Especialistas acreditam haver variadas raz√Ķes para explicar esse número.

"Algumas pessoas podem ter lido especula√ß√Ķes de que uma dose seria suficiente [para proteger contra o coronavírus]", afirmou à DW a virologista Angela Rasmussen, da Organiza√ß√£o de Vacinas e Doen√ßas Infecciosas (Vido). Segundo ela, essa ideia instigaria nas pessoas um falso senso de seguran√ßa.

Outra raz√£o que pode desencorajar alguns vacinados a tomarem a segunda dose é o medo de possíveis rea√ß√Ķes adversas da imuniza√ß√£o. "Algumas pessoas podem ter tido efeitos colaterais relacionados à primeira dose e decidiram por si mesmos que n√£o querem viver isso de novo com a segunda dose", diz a virologista.

"Acredito que outras pessoas foram aconselhadas por seu seguro de saúde a n√£o receber a segunda inje√ß√£o, e isso se eles j√° tiveram uma rea√ß√£o alérgica ou têm um histórico ruim ao receber segundas doses – provavelmente é uma minoria de casos, mas acho que algumas pessoas por raz√Ķes médicas foram aconselhadas a n√£o tomar a segunda dose", completa Rasmussen.

A especialista cita ainda outras possíveis raz√Ķes, como obst√°culos logísticos que fogem do controle dos vacinados, bem como hor√°rios para vacina√ß√£o cancelados ou farm√°cias que n√£o estocaram doses do tipo certo da vacina. Um número pequeno de pessoas pode ainda ter simplesmente esquecido que precisava tomar uma segunda inje√ß√£o.

Fatores sociais também podem desempenhar um papel. Segundo a médica Lisa Cooper, chefe do Centro Johns Hopkins para Equidade na Saúde, pessoas de classes mais baixas e afro-americanas enfrentam barreiras estruturais específicas para ter acesso até mesmo à primeira dose da vacina.

"Se você n√£o tem um celular sofisticado ou um computador, provavelmente se sente mais confort√°vel usando um telefone comum – mas alguns centros de vacina√ß√£o n√£o têm número para receber liga√ß√£o, e a única forma de se registrar [para se vacinar] é estando online", disse Cooper em entrevista à DW.

"Mesmo que você consiga [se registrar], descobrir√° que o local da vacina√ß√£o fica no outro lado da cidade, e você n√£o tem carro – você quer pegar o transporte público durante a covid-19? E vai lhe custar um dinheiro extra para fazer todas essas coisas."

Preocupa√ß√Ķes econômicas também contribuem para a hesita√ß√£o em rela√ß√£o à vacina. Muitos trabalhadores americanos dizem que gostariam de se vacinar, mas nem sempre obtêm o apoio de seus empregadores. Para evitar isso, o presidente dos EUA, Joe Biden, pediu aos empregadores que concedessem licen√ßa remunerada para permitir que seus funcion√°rios sejam vacinados, e ofereceu créditos fiscais a pequenas e médias empresas para cobrir os custos.

Uma dose da vacina é suficiente?

Especialistas têm explicado repetidamente que, a fim de obter uma prote√ß√£o maior e a longo prazo contra o coronavírus, é necess√°rio tomar duas doses da vacina – no caso dos imunizantes que exigem duas doses, é claro. H√° estudos que sugerem que, ao menos em curto prazo, a primeira dose j√° oferece certa prote√ß√£o, mas n√£o é claro quanto tempo dura essa prote√ß√£o.

Dois estudos recentes do Instituto Nacional de Estatísticas do Reino Unido e da Universidade de Oxford mostraram que pessoas vacinadas apresentaram uma forte resposta imunológica após receberem qualquer uma das doses.

Um dos estudos apontou uma redu√ß√£o de 72% em infec√ß√Ķes sintom√°ticas entre as pessoas que receberam a primeira dose das vacinas da Pfizer-Biontech e da AstraZeneca-Oxford. Após duas doses da Pfizer-Biontech, contudo, houve uma redu√ß√£o de 90% nas infec√ß√Ķes sintom√°ticas. Os dados sobre a prote√ß√£o após a segunda dose da AstraZeneca ainda estavam disponíveis.

Koen Pouwels, autor do estudo e pesquisador na Universidade de Oxford, frisa que tomar a segunda dose dos imunizantes leva a uma prote√ß√£o muito mais eficaz e mais duradoura contra a covid-19. "É muito importante receber a segunda dose."

"Como acontece com qualquer doen√ßa infecciosa, inicialmente [após a primeira dose] você ter√° alta prote√ß√£o e, depois, essa efic√°cia diminuir√°", disse Pouwels à DW. "Ao observar as respostas dos anticorpos, a queda é relativamente r√°pida. A segunda dose é muito protetora e aumenta muito mais os níveis de anticorpos, especialmente em pessoas idosas."

Segundo a virologista Angela Rasmussen, o problema n√£o é que a segunda dose n√£o funcionar√° se o paciente esperar mais tempo para recebê-la, mas que ele pode n√£o ter a prote√ß√£o que pensa ter durante aquele intervalo entre uma dose e outra.

"O que as pessoas podem estar esquecendo é que essa segunda dose é considerada realmente necess√°ria para obter essas respostas imunológicas de longo prazo", afirma ela.

Quem j√° teve covid-19 pode tomar apenas uma dose?

Um estudo americano realizado pelo Centro Médico Cedars-Sinai com mais de 260 pessoas mostrou que "uma dose da vacina da Pfizer-Biontech em indivíduos que j√° tiveram covid-19 gera uma resposta imunológica similar à dos indivíduos que receberam as duas doses recomendadas".

Ou seja, segundo os pesquisadores, os dados sugerem que uma segunda dose pode n√£o ser necess√°ria para aqueles que se recuperaram de uma infec√ß√£o pelo coronavírus. A quest√£o é qu√£o eficaz seria uma única dose.

"Muitos indivíduos tiveram covid-19, e a disponibilidade da vacina ainda é limitada na maioria das regi√Ķes. Portanto, a dosagem única em indivíduos com [histórico] anterior de covid-19 poderia acelerar significativamente o número de pessoas protegidas pela imuniza√ß√£o e ajudar a alcan√ßar níveis comunit√°rios [de vacina√ß√£o] que impedem a dissemina√ß√£o da infec√ß√£o", afirmou à DW o coautor do estudo Jonathan Braun, professor de medicina no Centro Médico Cedars-Sinai.

Outra pesquisa realizada pelo Instituto Penn de Imunologia, da Universidade da Pensilv√Ęnia, também descobriu que pessoas que se recuperaram de uma infec√ß√£o apresentaram uma forte resposta de anticorpos após a primeira dose das vacinas que utilizam a técnica de mRNA, como o imunizante da Pfizer-Biontech.

Em comunicado à imprensa, o imunologista e coautor do estudo E. John Wherry afirmou que "esses resultados s√£o encorajadores tanto para a efic√°cia de curto prazo da vacina quanto para a de longo prazo".

Na Alemanha, o Comitê Permanente de Vacina√ß√£o (Stiko, na sigla em alem√£o) atualizou recentemente seus informes para incluir novos dados que recomendam que, para as pessoas que desenvolveram covid-19, "uma única vacina√ß√£o deve ser considerada, mas n√£o antes de seis meses após a recupera√ß√£o [...], devido à imunidade existente após a infec√ß√£o".

Autor: Michaela Cavanagh, Rob Mudge

Fonte: G1

Comunicar erro
local 2

Coment√°rios

local 3