local 1

Consumidores compraram mais de pequenos negócios de bairro durante a pandemia, aponta pesquisa

Por Portal A Voz Da Cidade em 28/09/2020 às 14:06:14
Estudos do Facebook em parceria com a Deloitte, Banco Mundial e OCDE mostram tendências para hábitos de compras e situação de pequenas empresas que atuam na rede social. Consumidores estão optando por comprar pela internet e muitos escolhem pequenos negócios.

Rupixen/Pixabay

O Facebook anunciou nesta segunda-feira (28) os resultados de pesquisas globais sobre hábitos de compra durante a pandemia, e impacto da Covid-19 nas Pequenas e Médias Empresas (PMEs).

Os levantamentos mostram que vendas online continuam em alta, apesar do início da flexibilização do comércio nas cidades ao redor do mundo.

Além disso, muitas pessoas passaram a priorizar pequenos negócios de bairro durante a pandemia.

Pesquisa sobre hábitos do consumidor

A "Pesquisa do uso das ferramentas digitais pelo consumidor" foi feita pelo Facebook em parceria com a empresa de consultoria Deloitte e mapeou hábitos de compras das pessoas durante a pandemia.

Realizado em julho de 2020 em 13 países, incluindo no Brasil, o estudo aponta que 73% dos consumidores começaram a comprar dos pequenos negócios de bairro durante a pandemia.

Para 48% das pessoas que optaram por compras de pequenos negócios, o principal motivo foi a preocupação com a sobrevivência desses empreendimentos.

Outros destaques do estudo:

67% dos consumidores que começaram a comprar de novas pequenas empresas relataram que escolheram essas empresas porque elas ofereciam melhores ofertas ou um serviço mais rápido;

54% começaram a fazer compras em novas pequenas empresas relataram que as redes sociais os ajudaram a descobrir essas novas pequenas empresas (locais ou não locais);

39% dos consumidores entrevistados relataram que esperam gastar mais em pequenas empresas no futuro (locais ou não).

Pesquisa sobre pequenas empresas

O Facebook também realizou a 3ª edição do "Relatório Global sobre a Situação das Pequenas Empresas", em parceria com o Banco Mundial e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A pesquisa é feita mensalmente e busca entender a situação das empresas após as restrições causadas pela pandemia. O atual levantamento traz dados de julho.

Saiba mais: Coronavírus e pequenos negócios: veja o que foi autorizado pelo governo e alternativas para enfrentar a crise

Quase metade dos entrevistados no Brasil relatou que 50% ou mais de suas vendas foram provenientes de ambientes digitais, como redes sociais ou lojas virtuais (e-commerce).

Porém, as vendas tem caído durante a pandemia: 58% das PMEs brasileiras com páginas no Facebook relataram que suas vendas no último mês foram menores do que no mesmo período do ano passado.

Veja outros números do estudo:

52% dos proprietários e gerentes de PMEs relataram se sentir otimistas em relação ao futuro de seus negócios;

77% das PMEs lideradas por mulheres e 91% das pequenas e médias empresas lideradas por homens relataram que estavam em atividade e engajadas em alguma atividade geradora de receita;

38% das PMEs operacionais no Brasil relataram ter reduzido o número de funcionários/colaboradores para enfrentar a crise.

O levantamento foi feito em julho com 30 mil líderes de pequenas e médias empresas em mais de 50 países, que possuem uma página do seu empreendimento no Facebook.

O Facebook tem anunciado algumas iniciativas voltadas para pequenas empresas desde o início da pandemia. A mais recente delas foi a integração com Instagram e Messenger, com uma interface única para que pequenos negócios gerenciem conteúdos das redes sociais da empresa em uma central.

As mensagens recebidas pelo Messenger e Instagram Direct também são agrupadas. As empresas poderão configurar respostas rápidas para agilizar a comunicação, por exemplo.

Saiba mais: Facebook anuncia integração com Instagram e Messenger para pequenas empresas

VÍDEOS: Conheça empreendedores que estão superando a crise

Fonte: G1

local 2

Comentários

local 3